quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

As nuvens (Os Dias Que Passaram Na Janela)



...Eu conheço um lugar/ Onde a gente pode aproveitar/ Tudo que não estava previsto/ Pra rolar (Móveis Coloniais de Acaju)

Os dias de sol são, invariavelmente, aqueles em que você acorda e vê logo alguém sorrindo; aqueles em que o mundo acorda e te chama com uma força mais que sobrenatural, com a ternura da luz quente do sol.
Os dias de sol são, inconcebivelmente para alguns, aqueles em que a janela se abre sozinha; as nuvens dançam em segundo plano no céu e tudo parece se iluminar não só de pura luz, mas de alegria.
Os dias de sol são, inenarravelmente, os melhores; mais bonitos; mais propícios a novas e velhas atividades; mais envolventes; os dias em que você pode brincar com coisas coloridas na piscina e se bronzear; os dias em que a previsão do tempo se acerta com seu horóscopo e tudo parece estar no caminho perfeito.
Ah!... os dias de sol...

Os dias nublados são, simplesmente e pleonasticamente, os dias que não têm sol; os dias que apodrecem na sombra acinzentada daquilo que, a todos os olhos, é melhor; os dias em que ninguém jamais notará um balão colorido em forma de elefante ou uma ferrari vermelha a 200 por hora na rua da sua casa; os dias de reclusão, tristeza, abatimento.
Os dias nublados são, inoportunamente, os dias em que as nuvens, acróbatas de um céu tão grande, resolvem cair todas sobre você; os dias em que o sol não parece bem, deve ter pego aquela nova virose que surgiu não se sabe de onde; os dias em que ninguém acorda sorrindo, ninguém acorda com vontade de acordar, ninguém abre a janela por medo de chuva ou de mais solidão vir com o ar; os dias em que paira a mais terrível das atmosferas, tão pesada que não sabe-se nem como paira.
Os dias nublados são, incondicionalmente, ruins. Nunca se leva em consideração, contudo, que são os dias em que ninguém precisa se preocupar com qual lado da rua tem sombra; os dias em que os velhos podem alimentar os pombos; os dias em que todos podem alimentar aquilo que quiserem.
Os dias nublados não têm personalidade, não induzem; são os dias em que todo mundo pode ser aquilo que quiser!

2 comentários:

Karol disse...

Os dias nublados são, simplesmente e pleonasticamente, os dias que não têm sol; os dias que apodrecem na sombra acinzentada daquilo que, a todos os olhos, é melhor; os dias em que ninguém jamais notará um balão colorido em forma de elefante ou uma ferrari vermelha a 200 por hora na rua da sua casa; os dias de reclusão, tristeza, abatimento.

MUITO PERFEITA ESSA PARTE , amei *-* .

Ana Luisa disse...

concordo com vc...em dias nublados eu saio na rua sem medo de desmaiar com esse sol escaldante!
kkkkkkkkkkkkkkkkkk
brincadeira...