domingo, 4 de outubro de 2009

do [vazio interior] que brota no silêncio

OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando


Não sei na órbita de quê.

OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando
OrbitandOrbitandOrbitandOrbitandOrbitando

Saí do trilho
perdi a trilha
Ferida indolor
sem curativo

Ando andando em círculos e gastando o chão
Agora,
já não alcanço mais a saída.

4 comentários:

Gabi disse...

Gostei! :D
Divertido e sentimental ao mesmo tempo, na medida certa! :*

ferusth disse...

Simplesmente perfeito!
Adorei...

Cristiano Contreiras disse...

Criativo você e este seu universo aqui, te sigo!

Hiorrana disse...

Sempre perdemos o chão.

"Se bobear já sabemos levitar e nem percebemos."

Parabéns pelo blog.
Òtimo texto.

Beijos