quarta-feira, 3 de junho de 2009

indefinitivo



_Vá.
_Aonde?
_Vá.
_Preciso saber aonde.
_Não importa. Vá.
_Por favor.
_Agora. Vá.
_Não.
_Vá.
_Não vou.
_Explique-se.
_Vá você.
_Não vou.
_Se eu posso ir, você também. Vá
_Não.
_Vá.
_Não vou.
_Por quê?
_Não sei.
_Por quê?
_Não posso.
_Por quê?
_Não quero.
_O quê?
_Continuar.
_A quê?
_Ser você.
_Nem eu.
_Ser eu é muito difícil.
_Ser você também.
_Cuidemos um do outro então.
_Mas e eu?
_E eu?
_Eu também... Estamos todos aqui. Tantos outros de você.

_Como assim?
_Quem são vocês?
_Somos reflexos.
_Reflexos de quê?
_Dos seus olhos. Das suas unhas. Da sua mente.
_Reflexos das suas visões obtusas. Das feridas que provocou. Das suas vontades contidas.
_Reflexos de quê?
_Reflexos de você. Reflexos de mim.
_Saiam daqui.
_Não podemos. Somos parte de você.
_As partes mais bonitas. As mais feias. As mais felizes. As mais tristes. As lembranças mais bonitas. A saudade que mais dói.
_Nós todos somos você. Muitos. Reflexos de você. Sombras de você. Reflexos. Sombras. Reflexos. Sombras. Reflexos. Sombras. Reflexsombras

3 comentários:

Lívia disse...

faz parar e pensar,em vc, no seu reflexo, de vc, do seu eu...me surpreende escritor!

Sascha disse...

vou quebrar meu espelho interior

Yann disse...

gosh...make me see what i'm doing here. what i am.. inside me ..awesome