quinta-feira, 3 de junho de 2010

Nada - pra dizer nada.



Dizem que aura é uma matéria, uma energia que extravaza por cada poro do corpo. Há os que têm auras maiores e mais coloridas, recheadas de energia positiva; e há os que têm auras muito menos volumosas e acabam "roubando" energia das auras dos anteriores, mesmo sem querer.

Essa história de amor à primeira vista tem tudo a ver com isso, com a compatibilidade entre as auras. Sabe quando você sente-se bem com alguém?... e cada abraço, cada olhar, cada sorriso é mais - muito mais - significativo do que os anteriores e boa parte dos posteriores na sua vida. Amos à primeira vista é esse evento que se dá quando duas auras encontram-se e tornam-se quase que necessárias uma à outra. Duas almas num só corpo...

Eu preferia, especialmente considerando os fatos e acontecimentos recentes que me envolvem, ignorar a informação anterior, não saber de todo, porque é isso o que me faz sofrer. "Não ser pra você" não justifica nada, não diminui o que eu sinto, não ameniza e não me faz sofrer menos com a perda iminente. É só!



sobre a foto. eu gosto de tulipas.

3 comentários:

Paulo Vitor ("Pavê") disse...

Um texto tão bonito, e com esse final intrigante. Está tudo bem? Saudades de falar contigo, viu? Você me deve notícias! rs. Ah, e quanto ao texto, parabéns, como sempre!

Cristina Moura disse...

deixei um selo pra você no meu blog http://criistinamoura.blogspot.com/

Monique Burigo Marin disse...

Gostei de seu texto, tanto quanto gosto de tulipas.