quarta-feira, 12 de maio de 2010

Experimentar o Experimetal



Não quero ser um corpo despejado, maltrapilho, no caixão. Eu não, quero a glória dos irreais na história dos imortais - que fizeram história.

Por que passar pela vida e não viver? É como ser um jogador de futebol que não faz gols, como ser um surfista que não pega ondas, como ser um paraquedista que não cai, jornalista sem matérias, pintor sem telas, ator sem arte.

Cruzar o cruzeiro. Apontar. E despontar muito além do horizonte. Eu quero sempre mais do mundo. Eu espero muito mais de mim.

E quando você começa a viver, você até começa a gostar também, porque viver é esse fazer sem entendimento, essa lição que se assimila na marra; é prática - e muito além de qualquer teoria. Viver é experimental. Viver é experimentar.



Foto e título: Thais Thomaz ( http://tlank.blogspot.com/ )

4 comentários:

Camila Almeida disse...

uma dose de fé?

Jaci Macedo disse...

Definitivamente, já aceitei que sou uma pessoa triste. E também não é mais novidade pra mim. Fico triste sem motivo, triste por estar sozinha nesse mundo enorme. Sou triste por não ter conseguido ser tudo que eu sempre quis e não fui. Tristeza sem data, hora e minuto marcado. Só de ainda ser.

Bleffe disse...

Participe da campanha "Música em troca de Fraldas", que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

Música em troca de Fraldas



Dia 23/05 tem Show do #Riounido, que visa ajudar às crianças desabrigadas pelas chuvas no RJ:

#RioUnido

Cristina disse...

Digo o mesmo, mas oque piorar é que eu tento disfarçar a minha tristeza, sabe oque é estr sorrindo com vontade de chorar? é isso.
mas tente procurar motivos para não ficar triste.